quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Breve história do garoto violento

O garoto violento
Nem era tão bonito assim 
Quanto ela dizia
Ela não sabia, mas era
Muito mais bonita que ele
O garoto violento
Não queria nada com nada
E ela
Merecia tudo
O garoto violento
Culpava o tempo todo a dislexia
Pobre da dislexia
Não faz ninguém ser mau caráter
Só faz
Trocar umas letrinhas
Confundir direita e esquerda
E não confundir o que é certo
E o que é errado
O garoto violento
(Que era melhor que o garoto babaca)
Parecia boa gente
Mas era tudo fingimento
Tomou umas porradas
Tomou um pé na bunda
Tomou um chá de sumiço

terça-feira, 14 de abril de 2015

Parada no meio do nada

Parada no meio do nada
O mundo em silêncio, na escuridão
As luzes se acendem e nada muda
Estou muda
Calada e perdida, buscando perdão

O tecido que toca a pele, afaga
Me faz lembrar que estou no chão
O mundo dos sonhos se dissolve
A angústia acaba
Acendem-se as luzes
Nada mudou

domingo, 19 de outubro de 2014

Desejos

Tradução literária de "Wishes" (leia aqui)

Dê-me amor
ou
Dê-me fé
ou
Dê-me ambos
Se quiser

Dê-me paz
Mas não me deixe perdida
Ou se arrisque
E não me dê saída

Dê-me mudança
Mas seja o mesmo
Ou então a esmo
Dê-me o seu dia

Dê-me uma noite
Com estrelas aos montes
E, sem que eu diga,
Dê-me sua vida

terça-feira, 27 de maio de 2014

The poet and the conductor

["Ah! poetry makes life what light and music do the stage"
- Charles Dickens, The Pickwick Papers]

When you find a friendship that is pure
Pure like the sound of a solo violin
It can be, to one’s soul wounds, a cure
And you got to take care of it
Take care like it was a treasure
As it really might be
You’ve been looking way too long
Just to find this perfect pitch
Be cautious about every single note you play
Pay attention to any sound
Your whispers might be heard
As if they were a symphony to a crowd
Take care of your intonation
And never forget to be well tuned
Your friend will listen carefully to you
While your strings and vocal cords move
But, wait!
Make sure you don’t put this friendship on a pedestal
Mozart and Beethoven are dead
And your friend is right here, right now
He is a real person
And what you see is the best he can be
A body made of flesh, blood and bones
A soul made of do, re, mi, fa, sol, la and si

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Templum

Why can't you see all the beauty in the world?
Why can't you fall in love with the good things and let the bad feelings go?
Why do you carry so much negativity on your back?
I'm sure you remember how much light you used to have along your past track
Please, don't focus on the dark sides
You might fall so badly with just a single slide
I can see your heart trying hard to shine
I can see your beautiful heart, and it's a shrine

sábado, 30 de novembro de 2013

Sonho de água

Era uma noite cinzenta e bela
De lua cheia, com nuvens esfumaçadas
Um barco atracava no cais
E soprava um vento
E a água era verde
Ou azul
Ou verde-azulada

Pequenas ondas batiam no barco
E parecia frio, mas não estava
A jornada começava ou terminava, não lembro
Só lembro da água, da lua, do barco e das nuvens
E de mais nada

Será que esse barco me levava pra longe
ou me deixava mais perto da pessoa amada?
No ancoradouro está escuro e úmido
E quase tudo é preto e branco
Só a água, iluminada pela lua,
Reflete nas paredes sua ondulação esverdeada

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Note for Fernando


Did I ever tell you how special you are?
I think about it every second and probably don’t say it enough

Did I ever make you feel the most important person in the world?
Well, that's what I want to make you feel
That’s the reason I write this note

I’m sorry I can’t find the words to write you something better than this
I’ve wasted all my talent that night: meeting you was my masterpiece

domingo, 7 de outubro de 2012

Joe's

Outra noite, o mesmo bar.

"Não aguento nem mais um minuto aqui!"
Entre o homem mais bonito que eu já vi.

Capacete na mão, jaqueta de couro
Cabelos castanhos, tatuagem
"Como é que eu nunca o vi nessa cidade?"

Cumprimenta um,
Cumprimenta outro
- Eu me derretendo pelo sorriso naquele rosto -
Ele senta no balcão e,
com um whisky na mão,
põe os olhos em mim.
"Estou sorrindo e nem percebo!
Ai, meu Deus, é meu fim."

Sem perceber nada,
Minhas amigas falam, falam...
E continuariam falando,
não importa o que acontecesse.
"Minha nossa, mas que homem é esse?"

Com aquele olhar fulminante
Me consumindo até os ossos
Ele vem em minha direção
E eu, sem mais,
Me deixo envolver em seus braços.

Subo na garupa,
Ele sai em disparada.
Hoje à noite meu coração está com o pé na estrada.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Teatro

Você nunca mente.

Eu nunca choro.

Ah, por obséquio,
Deixemos de ser uma grande comédia!

Você, com suas falácias
Eu, com minhas tragédias.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Breaking chains

Please, don't play me like a fool
Don't push me away from you
Don't say you're in blue
'Cause I know this is a lie
Don't you dare saying I'm never right
We both know we never agree
And that's exactly why you are here
So just talk
Say again what you wanna do
And maybe my heart can accept it too
Say again what you want from me
All I want now is to be free

terça-feira, 1 de novembro de 2011

One

You thought you were so special
Oh dear, you thought you were!
But you are nothing but just another one
In this seven billion people world.

“But today – this Day of 7 Billion –
is not about one newborn, or even one generation,” he stated.
“This is a day about our entire human family.”
- Secretary-General Ban Ki-moon

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

No ashes

Holy night
That with shadows
Guide my days

Come to me

Come
Show the beauty
Of the darkness
That opened my mind
Opened the gates
From worlds
From fates
That might cross someday

Come
Overtake my body
Reach my soul
Fill my heart
With black
With coal

...Fire

sexta-feira, 11 de março de 2011

Trajetória (Mais rodas)

Gira a roda, criança
Gira, que a vida leva
Na roda da vida não se descansa
Não se para
Nunca cessa
A roda anda como um andarilho
Sem destino
Sem caminho
Sem um trilho
Sem ninguém
A roda balança
- e assim a lembrança -
Nos pedregulhos do vai e vem
Deixa a sua marca na terra batida
Ferida aberta
No peito de alguém
Cai a noite e a roda rodando
Foi-se o dia
Anestesia
Nas nuvens, agora
A roda persiste
Em seu fado triste
De não descansar
Percorre caminhos
Becos, ruelas
Pecorre as mais belas
Praias que há
Percorre e descobre, no fim do trajeto
Que o fim é incerto
Recomeça a rodar

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Inverno

[I envy Light - that wakes Him
And Bells - that boldly ring
To tell Him it is Noon, abroad-
Myself - be Noon to Him]
Emily Dickinson


Invejo os flocos de neve
Que tocam os seus cabelos
Invejo as toalhas felpudas
Passando entre seus dedos
Invejo as estradas e praças
Sob seu olhar constante
Queria estar em seus passos
Invejo as pontes

Invejo os cervos assustados
E os montes que lhe cercam
Invejo as noites escuras
E os arbustos no campo aberto
Invejo o algodão
Em contato com a sua pele
Invejo o rio que corre
Invejo os flocos de neve

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Relógio

Perco tempo.
Perco, e não sei onde o coloquei.
Terá se escondido em algum momento desperdiçado?
Estará dentro de uma gaveta, esquecido?
Perco ou o jogo fora, não sei.
Ou, quem sabe, não me é roubado,
Por algum ladrão insensível
Que não sabe o quanto
- e é tanto -
eu gostaria de ficar aqui.
Aqui, presa nesse instante,
Como uma imagem congelada
De um velho filme na tv.
Sem medo que o tempo lá fora corresse,
Eu poderia perder todo o tempo do mundo com você.